simples assim

Minha foto
São José dos Campos, SP, Brazil
A gente pode morar numa casa mais ou menos, numa rua mais ou menos, numa cidade mais ou menos, e até ter um governo mais ou menos. A gente pode dormir numa cama mais ou menos, comer um feijão mais ou menos, ter um transporte mais ou menos, e até ser obrigado a acreditar mais ou menos no futuro. A gente pode olhar em volta e sentir que tudo está mais ou menos... TUDO BEM! O que a gente não pode mesmo, nunca, de jeito nenhum... é amar mais ou menos, sonhar mais ou menos, ser amigo mais ou menos, namorar mais ou menos, ter fé mais ou menos, e acreditar mais ou menos. Senão a gente corre o risco de se tornar uma pessoa mais ou menos. Chico Xavier

30 de set de 2010

William Shakespeare (Sonhos De Uma Noite De Verão)

“Há quem diga que todas as noites são de sonhos...
Mas há também quem diga que nem todas...
Só as de verão...
Mas no fundo isso não tem muita importância...
O que interessa mesmo não são as noites em si...
Mas sim os sonhos...
Sonhos que o homem sonha sempre...
Em todos os lugares, em todas as épocas do ano...
Dormindo ou acordado...”


Soneto 17

Se te comparo a um dia de verão
És por certo mais belo e mais ameno
O vento espalha as folhas pelo chão
E o tempo do verão é bem pequeno.

Ás vezes brilha o Sol em demasia
Outras vezes desmaia com frieza;
O que é belo declina num só dia,
Na terna mutação da natureza.

Mas em ti o verão será eterno,
E a beleza que tens não perderás;
Nem chegarás da morte ao triste inverno:

Nestas linhas com o tempo crescerás.
E enquanto nesta terra houver um ser,
Meus versos vivos te farão viver.



Soneto 53
De que substância foste modelado,
Se com mil vultos o teu vulto medes?
Tantas sombras difundes, enfeixado
Num ser que as prende, e a todas sobre excedes;

Adônis mesmo segue o teu modelo
Em vã, esmaecida imitação;
A face helênica onde pousa o belo
Ganhou em ti maior coloração;

A primavera é cópia desta forma,
A plenitude és tu, em que consiste
O ver que toda graça se transforma

No teu reflexo em tudo quanto existe:
Qualquer beleza externa te revela
Que a alma fiel em ti acha mais bela.


 

25 de set de 2010

Coisas que li e gostei: Infinito Particular

Coisas que li e gostei: Infinito Particular

Infinito Particular

Eis o melhor e o pior de mim
O meu termômetro, o meu quilate
Vem, cara, me retrate
Não é impossível
Eu não sou difícil de ler
Faça sua parte
Eu sou daqui, eu não sou de Marte
Vem, cara, me repara
Não vê, tá na cara, sou porta bandeira de mim
Só não se perca ao entrar
No meu infinito particular
Em alguns instantes
Sou pequenina e também gigante
Vem, cara, se declara
O mundo é portátil
Pra quem não tem nada a esconder
Olha minha cara
É só mistério, não tem segredo
Vem cá, não tenha medo
A água é potável
Daqui você pode beber
Só não se perca ao entrar
No meu infinito particular

Arnaldo Antunes, Marisa Monte e Carlinhos Brouwn

17 de set de 2010

Martha Medeiros (trecho de O Divã)

 mulher pensativaToda mulher é doida. Impossível não ser. A gente nasce com um dispositivo interno que nos informa desde cedo que, sem amor, a vida não vale a pena ser vivida, e dá-lhe usar o nosso poder de sedução para encontrar the big one, aquele que será inteligente, másculo, se importará com nossos sentimentos e não nos deixará na mão jamais. Uma tarefa que dá prá ocupar uma vida, não é mesmo? Mas além disso, temos que ser independentes, bonitas, ter filhos e fingir de vez em quando que somos santas, ajuizadas, responsáveis, e que nunca, mas nunca, pensaremos em jogar tudo pro alto e embarcar num navio pirata comandado pelo Johnny Depp, ou então virar loura e cafetina, ou sei lá, diga aí uma fantasia secreta, sua imaginação deve ser melhor que a minha.
Eu só conheço mulher louca. Pense em qualquer uma que você conhece e me diga se ela não tem ao menos três dessas qualificações: exagerada, dramática, verborrágica, maníaca, fantasiosa, apaixonada, delirante. Pois então. Também é louca. E fascina a todos.
Nossa insanidade tem nome: chama-se Vontade de Viver até a Última Gota.
Só as cansadas é que se recusam a levantar da cadeira para ver quem está chamando lá fora. E santa, fica combinado, não existe. Uma mulher que só reze, que tenha desistido dos prazeres da inquietude, que não deseje mais nada? Você vai concordar comigo: só se for louca de pedra.

13 de set de 2010

O Bem e o Mal




Eu sou do bem. Eu não sou do mal. Eu sou de plantar. Eu sou de colher. Não sou de arrancar. Eu sou de fazer. Eu sou de ajudar. Não atrapalhar. Sou de colaborar. Sou de melhorar. Não sei piorar. Sou de levantar. Sou de refazer. Sou de construir. Não sei destruir. Sou de insistir. Sou pela verdade. Eu não sei mentir.
Eu sou de falar. Quando é preciso. Eu tenho juízo. Sei bem me calar. Eu sou altruísta. Sou bem ponderado.  Eu gosto de ouvir. E ficar calado. Depois refletir. E dar meu recado. Sem briga nem turra. Eu sou educado. Não sou egoísta. Não estou nesta lista. Sou pela humildade. E sinceridade.
Eu falo o que penso. Depois de pensar. Não digo o que quero. Sem avaliar. Eu sei escutar. Ouvir e falar. Não sou de impor. Sou de sugerir. Sou de persistir. Se a causa é correta. Se é bom o combate. O curso é a reta. Não ando enrolando. Pra frente e voltando. Eu sigo em frente. Com entusiasmo. Eu sou do passado. Mas olho o futuro. Não fico no muro. Ultrapassado.
Eu sou de mudança. Eu tenho certeza. Sou de confiança. Eu trago a esperança. Não sou derrotado. Eu caio e levanto. Nenhum desencanto. Eu sou otimista. Por natureza. Eu sou de amizade. Confio e espero. Só não acredito. Em lero-lero. Conversa fiada. Sem rumo certeiro. Não perco meu tempo. Atrás de dinheiro. Dinheiro roubado. Não perco a cabeça. Não sou prisioneiro. De oferta brilhante. A troco de nada. Não perco o meu jeito. Nem a liberdade. Sou homem direito. Mas não sou perfeito. E sempre acredito. Que tudo tem jeito.
Eu não tenho pressa. Não sou preguiçoso. Caminho em paz. Olhando o que é belo. Toda a natureza. É tudo pra mim. Eu sou assim. Em Deus eu confio. Em Deus eu espero. De que mais preciso? O que mais eu quero? Apenas que os outros. No mesmo caminho. De paz e amor. De pouco espinho. Consigam chegar. No mesmo lugar. No plano divino. No céu prometido. Com Deus encontrar. Viver nova vida. Eterna e brilhante. Nisso acredito. Eu sou confiante.



(por Domingos Oliveira Medeiros)